segunda-feira, dezembro 25, 2006

quero ver-te acordar
cabelos soltos, despenteados
olhos de sono, semi-cerrados
tentando se esconder do sol a raiar

quero ter-te ao amanhecer
da pele dormida o cheiro
mais puro e verdadeiro
e sem pressa, quase com preguiça amar você

quero te surpreender
com a água quente da banheira já ligada ao chegar
e te encher de carinhos e mimos
massagens e sais pra relaxar

quero te viver
seus dilemas, por mais que cotidianos
deitar sua cabeça em meu ombro
enquanto faço-te carícias

quero te deitar
abrir algum livro
e saber-te lendo ao meu lado
ou simplesmente um filme abraçados

quero na sala sozinho estar
mas certo de que estás no quarto ao lado
quero a felicidade calma de só quem
tem certeza do tanto gostar

quero te admirar
e ver teu sorriso, toda sorte de olhares
contemplar sua unicidade e delicadeza
quero-te. Até nunca chegar.

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home